Bebês prematuros e o (quase) insubstituível toque humano – Futurando (12/02/2020)

Fonte: Vídeo, DW Brasil TV | DW Brasil em 12/02/2020 às 14:30 h

Clique na imagem para ver o vídeo.

1:08 Dependendo do estágio de desenvolvimento, bebês prematuros param de respirar até 15 vezes por hora. “O bebê prematuro, na realidade, ainda deveria estar no ventre materno. É lá que ele treina seus músculos respiratórios e, de vez em quando, faz uma pausa’, explica Ulrich Thome, diretor do departamento neonatal do Hospital Universitário de Leipzig. Quando isso acontece, a estimulação tátil ajuda o bebê a voltar a respirar. Equipes de enfermagem de UTIs neonatais se deparam com esse problema constantemente. Para ajudá-las, pesquisadores querem desenvolver uma máquina que dê esse “toque especial’, como você vê no Futurando.
6:33 Acompanhe ainda a viagem de um espermatozoide. Os espermatozoides seguem um longo caminho, cheio de obstáculos, até fecundarem um óvulo.

O trajeto seria maior do que a distância entre Rio e São Paulo, e apenas alguns alcançam a meta. E somente um é coroado.
9:48 E para que os espermatozoides continuem participando dessa corrida, existem hábitos que garantem a saúde e agilidade deles. Veja nesta edição o que pode influenciar na produção e na qualidade dos espermatozoides, como, por exemplo, comer determinados alimentos e evitar banho quente.
13:03 Nossa equipe foi também até o Zoológico de Estocolmo, na Suécia, onde médicos de humanos tentam aprender com os bichos. Conhecer a saúde animal pode ajudar no desenvolvimento de terapias para pessoas.
18:53 Ainda falando sobre esse assunto, convidamos para um bate-papo Ceres Berger Faraco, médica veterinária, mestre e doutora em psicologia. Ceres é coordenadora e professora de cursos universitários sobre comportamento animal, e presidente da Associação Latino-Americana de Zoo-Psiquiatria.
23:08 O Futurando traz também uma animação divertida sobre a química do corpo. Por meio da história de Ana e Paulo, analisamos como hormônios e neurotransmissores tanto garantem satisfação, como também o inverso. Ou seja, podem ampliar a agressividade.
www.dw.com/brasil

www.facebook.com/dw.brasil

www.twitter.com/dw_brasil

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais