Kennedy Alencar: Crise brasileira de Dilma a Bolsonaro é ‘história global’, diz Petra Costa

Fonte: Kennedy Alencar | Kennedy Alencar em 14/01/2020 às 15:00 h

Carregando imagem...

A cineasta Petra Costa afirma que a indicação ao Oscar de ‘Democracia em Vertigem’ na categoria de melhor documentário revela que a crise brasileira, ‘infelizmente, é uma história global’. ‘É muito bom ter esse reconhecimento internacional, que mostra que essa história não é só uma história brasileira.’

Em entrevista ao ‘Jornal da CBN – 2ª Edição’, Petra julga ser positiva a indicação ‘num ano em que teve tanto ataque ao cinema nacional’ da parte do governo Bolsonaro. Ela diz que recebeu com ‘grande surpresa’ e alegria a indicação ao Oscar do documentário produzido pela Netflix.

Para Petra, ‘no momento em que’ o PSDB não ‘aceita o resultado da eleição de 2014, abre-se caminho para uma erosão democrática que acarreta na eleição do Bolsonaro’.

‘Concordo que a Dilma errou na economia, principalmente quando ela descumpre a promessa da campanha e implementa um regime de austeridade até mais severo do que o oponente dela [Aécio Neves, do PSDB] prometia fazer.

Com isso, ela perde toda a base política dela’, diz a diretora.

Petra avalia que ‘a Lava Jato, no começo, teve uma política necessária de combater uma corrupção sistêmica que o Brasil tem há décadas, mas foi politizando e fazendo uma judicialização da política que é um dos principais inimigos da democracia hoje’. ‘Se a gente não pode confiar num dos três braços de uma instituição democrática, de um dos poderes [a democracia se enfraquece]. A democracia é baseada na confiança.’

Na visão da cineasta, ter um juiz como Sergio Moro, estrela da Lava Jato e hoje ministro da Justiça de Bolsonaro, que age ao mesmo tempo como ‘procurador e depois julga’, o que se provou fato com a Vaza Jato, ‘erodiu um dos principais pilares da democracia brasileira’.

Nas redes sociais, o PSDB debochou da indicação ao Oscar: ‘Parabéns à diretora Petra Costa pela indicação de melhor ficção e fantasia’. A diretora responde com a elegância que faltou ao partido.

Petra diz que ‘é uma pena que o PSDB não veja este momento como um momento tão importante para o Brasil’. Para ela, os tucanos não mostram ‘capacidade de distinguir a ficção da realidade’.

A diretora Petra afirma que o impeachment de Dilma foi ‘um golpe institucional’. ‘O Congresso brasileiro se utilizou de lei de impeachment, mas a distorceu. (…) A aplicação da lei de impeachment para uma manobra fiscal é um crime democrático. A democracia não sobrevive não só pelo respeito à Constituição, que pode ser manipulada, mas a duas normas não escritas, que são respeito mútuo e autocontrole. Saber que você pode destruir o seu oponente, mas deixar de fazê-lo por respeito à democracia. Acho que é isso que faltou à política brasileira nos últimos anos e que levou à nossa crise atual.’

Trump e Bolsonaro foram eleitos com utilização de fake news e manipulação das redes sociais, avalia Petra. ‘Isso está levando ambos os países (EUA e Brasil) a uma descrença na democracia’.

Sobre o governo Bolsonaro, a diretora tem a seguinte opinião: ‘É um governo que está tragicamente atacando a cultura, atacando o meio ambiente, atacando os direitos trabalhistas, os direitos conquistados depois de décadas’.

Num momento em que o Brasil perde força no cenário internacional com os retrocessos do governo Bolsonaro, a indicação ao Oscar de melhor documentário de ‘Democracia em Vertigem’, da diretora Petra Costa, traz prestígio ao país. Nesse contexto, a produção da Netflix tem papel importante para transmitir outra visão sobre a história do Brasil e para influenciar o debate público doméstico.

Ouça a entrevista:

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais