O grupo que transforma lixo em instrumentos musicais – Futurando (04/12/2019)

Fonte: Vídeo, DW Brasil TV | DW Brasil em 04/12/2019 às 15:30 h

Clique na imagem para ver o vídeo.

1:12 Conhecido há séculos por fornecer madeira para a fabricação de instrumentos musicais, como violinos, o Vale de Fiemme, na Itália, tem enfrentado tempestades muito fortes que devastam as florestas de coníferas da noite para o dia. Para não colocar a fabricação dos famosos e reconhecidos instrumentos musicais em jogo, como os da marca Stradivarius, um empresário italiano tenta salvar a madeira de árvores muito especiais. A missão é desafiadora, como mostra esta edição do Futurando.
6:11 Mas nem todos os instrumentos musicais são feitos de madeira. E alguns podem surpreender pelos inusitados materiais com os quais são fabricados. Na República Democrática do Congo, um depósito de lixo serve de inspiração artística para a banda Fulu Muziki. Pode soar estranho, mas é do lixo que vem o material para fazer instrumentos musicais e figurinos usados nas apresentações.

Com a iniciativa, eles querem ajudar o meio ambiente e chamar a atenção para o problema do lixo no país e no mundo.
9:36 Atenas é uma das cidades europeias com maior risco de incêndios florestais e seca. No verão, a temperatura atinge facilmente os 38ºC. Cerca de 80% da cidade são cobertos por prédios, o que deixa o ambiente ainda mais quente. Agora, uma herança da Antiguidade datada do século 2 pode ajudar a amenizar esse calor: o aqueduto de Adriano. O Futurando mostra que a ideia é utilizar a obra para fins não potáveis, como regrar plantas e lavar estradas – iniciativas que ajudariam a amenizar o calor. Será que usar uma estrutura do ano 125 pode dar certo?
14:17 Muito antes de construir Atenas, o homem moderno chegou à Europa há cerca de 40 mil a 45 mil anos, vindo da África. De acordo com a teoria mais difundida, o Homo sapiens foi a primeira espécie humana a se expressar artisticamente. Por essa razão, nenhuma pintura rupestre poderia ser mais antiga do que isso. Pesquisadores de Leipzig, porém, investigam se os Neandertais também podem ter feito este tipo de pintura. Análises de calcário encontrado em uma caverna da Espanha podem auxiliar nessa nova hipótese.
19:52 E na Índia, o resgate do passado ajuda a planejar o futuro. Desde a década de 1960, sementes híbridas de alto rendimento, que se mostraram menos resistentes, suplantaram a rica diversidade de arroz no país. Mas há alguns anos, agricultores estão empenhados em disseminar variedades nativas tradicionais, mais resistentes às mudanças climáticas, que cada vez mais são sentidas no país e no mundo. É um trabalho árduo de conservação, como você vê neste Futurando. Algumas das sementes foram repassadas por familiares há décadas – e não devem ser vendidas, mas entregues de mão em mão.
www.dw.com/brasil
www.facebook.com/dw.brasil
www.twitter.com/dw_brasil

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais