‘O melhor dia da minha vida foi quando a conheci. O pior, quando eu a matei’

Fonte: El Pais | Gil Alessi em 17/08/2019 às 22:30 h

Carregando imagem...

‘O melhor dia da minha vida foi quando eu conheci a Ágatha. O pior foi quando eu a matei’, diz Jhony Marcos Barcelos de Souza, 27, preso há três anos no Centro de Detenção Provisória da Serra, no interior do Espírito Santo. Feminicida confesso, ele assassinou a companheira a golpes de picareta quando ela anunciou a intenção de se separar. ‘Pra ser sincero com você, estou melhor do que mereço’, afirma em entrevista ao EL PAÍS dentro da unidade prisional que comporta pouco mais de 580 presos, mas abriga 979. Conhecido atrás das grades como Korbãn —palavra hebraica que significa sacrifício, em tradução livre—, Jhony fala em tom calmo: ‘Eu acho que deveria estar morto. Ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém’. No Brasil, onde ocorrem 13 feminicídios por dia segundo o Atlas da Violência 2019, o caso de Jhony se soma a outros milhares —4.936 só em 2017 para ser preciso— que fazem do país um dos recordistas em morte de mulheres no mundo.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Nicolás Dujovne, ministro argentino da Fazenda, pede demissão

Fonte: El Pais | Enric González em 17/08/2019 às 22:30 h

Carregando imagem...

Nicolás Dujovne, ministro argentino da Fazenda, aproveitou o final de semana para apresentar sua demissão. A queda do peso e das bolsas de segunda-feira, e a derrota eleitoral do presidente Mauricio Macri causada por uma política econômica da qual ele era um dos responsáveis, o deixaram em uma situação muito complicada. ‘Cometemos erros’, escreveu em sua carta de renúncia, ‘que nunca hesitamos em reconhecer e fizemos todo o possível para corrigir’. Dujovne será substituído por Hernán Lacunza, até então ministro da Economia da província de Buenos Aires.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

‘O melhor dia da minha vida foi quando a conheci, o pior quando eu a matei’

Fonte: El Pais | Gil Alessi em 17/08/2019 às 22:00 h

Carregando imagem...

‘O melhor dia da minha vida foi quando eu conheci a Ágatha. O pior foi quando eu a matei’, diz Jhony Marcos Barcelos de Souza, 27, preso há três anos no Centro de Detenção Provisória da Serra, no interior do Espírito Santo. Feminicida confesso, ele assassinou a companheira a golpes de picareta quando ela anunciou a intenção de se separar. ‘Pra ser sincero com você, estou melhor do que mereço’, afirma em entrevista ao EL PAÍS dentro da unidade prisional que comporta pouco mais de 580 presos, mas abriga 979. Conhecido atrás das grades como Korbãn —palavra hebraica que significa sacrifício, em tradução livre—, Jhony fala em tom calmo: ‘Eu acho que deveria estar morto. Ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém’. No Brasil, onde ocorrem 13 feminicídios por dia segundo o Atlas da Violência 2019, o caso de Jhony se soma a outros milhares —4.936 só em 2017 para ser preciso— que fazem do país um dos recordistas em morte de mulheres no mundo.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Após sete meses, Damares não gastou um centavo com a Casa da Mulher Brasileira

Carregando imagem...

Com 13,6 milhões de reais reservados no orçamento deste ano, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) de Damares Alves não gastou, até hoje, nenhum centavo com a construção da Casa da Mulher Brasileira, uma das principais iniciativas do governo federal para o enfrentamento da violência contra a mulher no Brasil. Elogiado por especialistas pela segurança e rapidez de acesso das vítimas à rede de proteção social, o programa prevê a implantação de centros de atendimento multidisciplinares para mulheres vítimas de violência em 25 capitais brasileiras – atualmente, apenas cinco estão abertos.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

MG2 – Edição de sábado, 17/08/2019

Fonte: MGTV 2ª Edição em 17/08/2019 às 21:00 h

Carregando imagem...

MG2 – Edição de sábado, 17/08/2019
Confira nesta edição que os concurseiros se preparam para o 2° semestre em Juiz de Fora. Veja também que Rainbow Fest recebe convidados que levantam a bandeira da diversidade em Juiz de Fora. Miss Gay Brasil 2019 ocorre neste sábado.
Tempo: 17:24

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Soniloquência: de que falamos quando falamos dormindo

Fonte: El Pais | Jaime Rubio Hancock em 17/08/2019 às 21:00 h

Carregando imagem...

Quase todos nós conhecemos alguém que fala dormindo. E quase todos nós conhecemos alguém que tomou um baita susto porque não sabia que essa outra pessoa falava dormindo até ser acordado no meio da noite, ouvindo frases sem sentido.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

‘Macri mexeu no bolso de todos nós. Hoje o dinheiro não rende’

Fonte: El Pais | Mar Centenera em 17/08/2019 às 21:00 h

Carregando imagem...

A Argentina está tão polarizada entre peronistas e macristas que nem um lado nem o outro imaginava que Alberto Fernández venceria, por uma diferença de 15 pontos percentuais, as eleições primárias de domingo passado. Por trás dessa virada eleitoral há muitos eleitores desencantados com o Governo de Mauricio Macri, que o responsabilizam pela piora econômica do país.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

A incrível história do casal que esteve 50 anos buscando sua primeira foto junto

Fonte: El Pais | S Moda em 17/08/2019 às 19:30 h

Carregando imagem...

Judy e Jerry Griffin se conheceram em 15 de agosto de 1969, primeiro dia do mítico festival de Woodstock. Ela e seus dois acompanhantes caminhavam ao lado da estrada após seu carro ter enguiçado. Ainda estavam a cerca de 150 quilômetros do local dos shows. Quando a jovem começou a reclamar do azar – justo no dia do seu aniversário – e da possibilidade real de nunca chegar a Woodstock, um estudante de Direito parou o veículo ao lado dela. Chamava-se Jerry e, perpetuando os estereótipos sobre a época, convidou-os a entrar no seu icónico Fusca. Judy hesitou porque nunca tinha pegado carona antes. Mas, ao ver que havia outra menina no carro, decidiu aceitar a oferta. Cinquenta anos depois, em 15 de agosto de 1969, Judy e Jerry se orgulham de uma família com dois filhos e cinco netos que já escutaram essa história, mas não puderam confirmá-la com nenhuma prova gráfica.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais