‘Abracem nossa história e nos respeitem’, pede Mestre Curió

Fonte: Tribuna de Minas | Mauro Morais em 14/07/2019 às 07:30 h

Carregando imagem...

Defensor da tradição, Mestre Curió, aos 82, viaja o mundo apresentando a filosofia por trás da Capoeira Angola, reconhecida como patrimônio cultural imaterial pela Unesco. (Foto: Fernando Priamo)

Não é necessário estar de pé para ensinar capoeira. Na defesa de um dos maiores guardiões da tradição no Brasil, o baiano Mestre Curió, capoeira é movimento, palavra que diz do corpo que se mexe e também do pensamento que não prostra. Sentado grande parte do tempo, ele sugere exercícios físicos e intelectuais durante suas aulas. Seu saber não está apenas em tocar instrumentos, entoar cânticos, erguer pernas e braços. Tudo isso ele sabe e faz bem. Seu saber, no entanto, também está na transmissão de discursos e práticas de sua ancestralidade. Intelectual orgânico, Jaime Martins dos Santos aprendeu desde cedo que capoeira é, sobretudo, filosofia.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais