(Minha) carta a JF

Juiz de Fora, 26 de maio de 2019
Cara ‘Jifora’,

Já faz tanto tempo que vivemos juntas que ele quase se iguala aos anos em que vivi na minha Três Rios de nascimento, sua vizinha. Envelhecemos juntas, dia a dia. Você viu, antes mesmo que eu, o primeiro fio branco brotar entre os meus castanhos, depois de vê-los completamente negros e em um sem-fim de tonalidades ruivas malsucedidas, bem como sob o efeito das mais variadas manobras de tesoura, da navalha e até da máquina de raspar. Também vejo seus prédios históricos sumindo do horizonte urbano, uns buracos aqui e acolá, o sinal do tempo em suas tantas faces. Não estamos ficando mais jovens, e nem sempre temos o melhor cuidado possível. Mas seguimos juntas. Nosso passo é tão sincronicamente acertado que não é raro que fiquemos invisíveis uma à outra.

Clique aqui para ver esta matéria na íntegra.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais