Sindicatos e movimentos sociais preparam ato contra a reforma nesta sexta

:: Tribuna de Minas em 22/03/2019 06:44 ::

Centrais e sindicatos de Juiz de Fora e região preparam um ato na cidade em protesto contra a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo Governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). A mobilização segue calendário nacional e está programada para a manhã desta sexta-feira (22), a partir das 9h da manhã, na Praça da Estação. Para os organizadores, a proposição governista significa perda de direitos para os trabalhadores brasileiros.

“É um dia de luta e mobilização nacional contra a reforma. Em todo o Brasil, nas capitais e no interior e nas portas das fábricas, serão realizados estes atos.

Em Juiz de Fora, várias categorias vão aderir e, algumas vão paralisar as atividades”, explicou a coordenadora-geral do Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro) e integrante da direção nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Cida Oliveira.

Cida Oliveira (Sinpro) e Paulo Azarias (Sinserpu) falam sobre impacto para trabalhadores

Em entrevista ao programa Pequeno Expediente da Rádio CBN Juiz de Fora nesta quarta-feira, a sindicalista destacou a expectativa de que professores e servidores da rede pública de educação cruzem os braços na cidade e engrossem a ação.

Também em entrevista à CBN, o diretor do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserpu), Paulo Azarias, pontuou que, além de trabalhadores, o protesto também irá contar com a participação de representantes de diversos movimentos sociais. Segundo ele, há expectativas de que servidores da Prefeitura possam paralisar as atividade e participar do ato. “A reforma é cruel contra todos os trabalhadores. Seja da rede privada ou pública. Ela ataca a todos e, em especial, aos mais pobres. Este ato está convocando todas as categorias para a formação de uma frente única capaz de derrotar esta reforma”, reforçou Cida.

O post Sindicatos e movimentos sociais preparam ato contra a reforma nesta sexta apareceu primeiro em Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais